O Lar das Crianças Peculiares | Livro x Filme

O Lar das Crianças Peculiares | Livro x Filme

Oi Pessoalzinho, tudo bem? O Resenhas da Nadi de hoje é naquele modelo que vocês gostam: Livro x Filme! <3 E nas comparações de hoje teremos o filme adaptado de um dos meus livros preferidos: O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. O livro já foi resenhado aqui, e eu fui bem clara em dizer o quanto amei o livro:

O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares é aquele livro, no qual é impossível parar de ler. Você quer chegar ao final o mais rápido possível, e aí, quando você chega na última frase percebe que você precisa do livro dois, desesperadamente!

Será que o filme consegue o mesmo efeito? Continua aqui que eu vou te contar tudinho, e veremos se as cenas que eu tanto queria ver, estiveram mesmo no filme! E claro, cuidado com os spoilers, ok?

livro

Título Original: Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children
Autor: Ransom Riggs
Ano: 2015
Editora: Leya
Número de páginas: 336
Gênero: Fantasia – Ficção
Resenha Completa: CLICA AQUI =)

“Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares: elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo… E, de algum modo, por mais impossível que pareça, ainda podem estar vivas. Uma fantasia arrepiante, ilustrada com assombrosas fotografias de época. O livro vai deliciar jovens, adultos e qualquer um que goste de uma aventura sombria.” 

filme

Título: O Lar das Crianças Peculiares
Título Original: Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children
Direção: Tim Burton
Ano: 2016
Elenco principal:Eva Green, Asa Butterfield, Samuel L. Jackson
Gênero: Fantasia | Aventura
Faixa etária: Não recomendado para menores de 12 anos

“Após a estranha morte de seu avô, o jovem Jake parte com seu pai para o País de Gales. Lá ele pretende encontrar a srta. Peregrine, atendendo ao último pedido do avô, que lhe disse que “ela contará tudo”. Só que, ao chegar, descobre que o local onde ela viveria é uma mansão em ruínas, que foi atingida por um míssil durante a Segunda Guerra Mundial. Ao investigar a área, Jake descobre que lá há uma fenda temporal, onde a srta. Peregrine vive e protege várias crianças dotadas de poderes especiais”

elenco

Vamos falar sobre a escolha do elenco e sobre a atuação de cada um deles. Não vou falar de todos os personagens, somente dos principais =)

Srta. Peregrine

No livro, a Srta. Peregrine é descrita como uma mulher forte, determinada;  muito bem vestida e estando sempre acompanhada de seu inseparável cachimbo. Ela é umas das personagens principais do livro, e a escolha de Eva Green para interpretá-la foi a melhor escolha de todas! <3

DF-07237 - Miss Peregrine (Eva Green) takes aim at her powerful enemies. Photo Credit: Jay Maidment.

Arrisco em dizer que Eva sustentou o filme nas costas! A interpretação dela, foi de longe a melhor de todas (claro que isso já era esperado dela né). Ela conseguiu trazer a essência da Srta. Peregrine do livro diretamente para o cinema, de uma forma natural e nada forçada. Quem leu o livro, certamente sentiu a mesma coisa =) Era como se Riggs tivesse criado a Srta. Peregrine pensando em Eva <3

Jacob Portman

Jacob é aquele garoto sem muitas perspectivas de futuro, meio perdido na adolescência, com uma família complicada mas que sempre encontrou conforto no amor do Avô Abe. Em vários momentos no livro, é sempre mencionada essa ligação especial entre avô e neto. No filme, Jacob é interpretado por Asa Butterfield.

neon_0001_1280w-1Eu realmente queria ter a opção de “desver” na minha vida, porque eu queria não ter visto a interpretação de Asa nesse filme. E não é nada contra ele, pois amo a atuação dele em A Invenção de Hugo Cabret, de verdade; mas nesse filme ele realmente deixou muito a desejar. Foi uma interpretação sem emoção, sem sentimentos, sem nada! Era como se ele tivesse caído de para-quedas no dia das filmagens e estivesse perdido! Jacob passa por momentos difíceis no livro; revelações, buscas, descobertas e transformações; e Asa conseguiu transmitir absolutamente nada de tudo isso, nada.

Emma e Olive

No livro, Emma e Olive são duas crianças peculiares, onde Emma controla o fogo e Olive controla o ar. Emma havia sido muito importante para o avô de Jacob, e agora também se tornaria importante para Jacob. Emma é interpretada por Ella Purnel e Olive por Lauren McCrostie. Até neste ponto parece tudo certo não é? Mas para mim não está não!

foto-03No filme Emma e Olive trocam de personalidade, onde Emma possui o poder de controlar o ar, e Olive passa a controlar o fogo (oi?). Eu já havia lido a respeito e estava ciente de que isso aconteceria, mas eu estava esperando que alguma coisa no filme acabasse por explicar a troca de Tim Burton; mas não, nada! E não vi a necessidade dessa troca em nenhum momento do filme. Para quem não leu o livro, não notou nada e tudo correu bem, mas para os leitores apaixonados pelo O Lar das Crianças Peculiares acabou sendo estranho de mais, tanto que Rigg se manifestou a respeito:

“Assim! fãs mais atentos estão percebendo que Tim mudou algumas coisas no filme. Enquanto o livro e o filme não serão idênticos (e eles raramente são) … Eu confio totalmente na visão de Tim. Não há nenhum cineasta no mundo mais adequado para adaptar este livro. Tudo ficará bem!” – @ransomriggs

Sorry Riggs, mas para mim essa troca não ficou nada boa, mas nada mesmo! Eu amo Emma nos livros, a relação entre ela e Jacob; e ver as coisas trocadas sem nenhum propósito, pelo menos aparente, é lamentável!

As Crianças Peculiares

As crianças são a parte mais incrível do livro e no filme também passaram a ser (ponto pro Burton). Aos poucos o filme vai apresentando a peculiaridade e personalidade de cada uma as crianças, assim como no livro.

peregrins-gallery9Arrisco também em dizer, que as crianças fizeram uma ótima atuação, muito melhor que a de Asa! Elas conseguiram transmitir exatamente a personalidade dos livros para o cinema <3 Foi lindo ver as cenas individuais de cada uma delas! Mesmo que nem todos tenham ganhado o mesmo destaque, eles fizeram ótimas interpretações de suas peculiaridades.

roteiro
O roteiro do filme é de Jane Goldman e como já sabem, com direção do incrível Tim Burton. O me fez dar pontos positivos para esse roteiro, foi o fato dele seguir boa parte da história do livro de Riggs; claro que com algumas alterações, umas mais sutis e outras dispensáveis (como a troca de Emma e Olive). Porém no geral, não achei um roteiro falho ou perdido, ele seguiu o fluxo da história de acordo com o que os leitores imaginavam, pelo menos até a metade do filme. Eu já havia imaginado que o final seria diferente, mas me surpreendi por ele ser totalmente diferente, mas um diferente não tão ruim assim (hahaha). Eu admito que tenho problemas com adaptações de livros justamente por não aceitar muito bem as mudanças que são feitas, mas digamos que eu fiquei “ok” com o final; até porque como não sou roteirista e muito menos cineasta, talvez eu não saiba nada mesmo sobre adaptações, paciência! Mas o que mais me incomodou nesse roteiro foi o fato de que o amor e o carinho de Jacob com o avô não foi mostrado! O elo entre eles é o que dá razão para todo o livro, é o princípio de tudo! No livro fica claro o porque Jacob quer tanto ir para a ilha, porque ele quer descobrir sobre o que o avô viveu por lá, e porque as crianças e toda essa história de orfanato é tão importante pra ele, mas cadê isso no filme? Cadê povo? Não houve!

foto-04
Tim Burton e Jane Goldman

Achei que algumas cenas não foram bem escritas no quesito “explicação dos acontecimentos” (assim como tudo relacionado ao relacionamento avô-neto), fica muito claro para quem leu o livro, mas deixa quem não sabe da história, um pouco perdido nos fatos. Do mesmo modo que alguns acontecimentos de grande importância no livro, acabaram por virar somente um pequeno diálogo no filme, e isso me decepcionou um pouco. Assim como algumas mudanças que achei desnecessárias e sem fundamento algum. Mas uma parte boa é que percebe-se que Tim tentou ao máximo agregar seus traços de ilustrador com a história contada por Riggs, e isso foi lindo de ver! Em várias cenas podemos ver as abordagens dark de Tim, agregadas com a fantasia da história dos peculiares andando lado a lado. Mas essa beleza toda não foi suficiente para transmitir a maravilhosa história do livro para o cinema, infelizmente.

figurino

O figurino do filme foi algo que me agradou e muito! No livro o autor espalha nas páginas, fotos dos personagens e obviamente suas roupas acabam por fazer parte das peculiaridades de cada um, e isso felizmente foi preservado no filme (obrigada Tim, pelo menos isso!). O figurino das crianças é muito parecido com as fotografias do livro.

figurinoooAo olhar as fotos dos personagens com seus figurinos maravilhosos e tão iguaizinhas ao que imaginamos no livro, me dá aquele calorzinho no coração <3 

cenas

Para os fãs do livro, como eu, algumas cenas são muito importantes e depois de tê-las imaginado enquanto líamos os capítulos, poder ver elas na tela do cinema é algo sem explicação! Por isso semana passada cheguei a fazer um post sobre as cenas que eu queria muito ver em O Lar das Crianças Peculiares; para que agora eu pudesse comparar e contar pra vocês como foram. Vamos à elas? =)

  • Vovô Portman e suas fotografias

Eu já disse que a relação avô e neto mal foi explorada nesse filme; mas no pouco que foi mostrado tivemos sim essa cena! Porém ela foi tão curtinha e com poucos diálogos que não foi nada significante. Ela devia ter sido mais explorada, mostrando o porquê Jacob se interessava tanto pelo orfanato e pelas crianças! Tanto que a cena em que Jacob, já no início da adolescência, passa a não acreditar mais nas histórias das crianças, ganhou mais destaque do que a cena que seria o princípio de tudo (poxa Burton)!

  • A tragédia do Vovô Portman

Na cena em que Jacob encontra o avô com um fio de vida, a cena no livro é forte, triste e nos deixa com vontade de abraçar Jake e dizer que as coisas vão ficar bem. Mas no filme a atuação de Asa foi lamentável! Não houve emoção, não houve olhos marejados e muito menos lágrimas! Parecia que ele estava concentrado em não esquecer como a cena deveria ser e esqueceu o principal: ele estava desolado por perder a pessoa que ele mais amava na vida! No livro Jacob expressa suas emoções:

Depois disso, deitou-se outra vez, cansado e agonizante. Deixei escapar um soluço. Disse ao meu avô que o amava. E então ele pareceu desaparecer dentro de si mesmo […]” Jacob, página 31

Mas no filme, não. Asa interpretou Jacob durante todo o filme sem nenhuma emoção. Lamentável, de verdade!

  • A casa em ruínas

A cena da casa em ruínas foi escrita de uma forma tão estranha no filme, que nem sei o que comentar! No livro Jacob fica fascinado e muito feliz ao encontrar as ruínas do orfanato da Srta. Peregrine, é como se os sonhos dele se materializassem na sua frente! Da mesma forma acontece quando ele entra na fenda e encontra o orfanato vivo!

screen_shot_20160315_at_12-56-11_pm-png-crop-promo-xlarge2-56-11_pmE como acontece no filme? Obviamente zero emoções! Sem falar que as coisas acontecem tão rápido que você está vendo Jacob nas ruínas do orfanato e quando pisca ele está dentro da casa cumprimentando a Srta. Peregrine. Não há sentimentos, não há nostalgia ou ao mesmo um suspiro por ele ter encontrado o que sonhava desde de criança! =/

  • O encontro com os Peculiares  

Eu estava ansiosíssima para esta cena e acho que de todas que eu esperava ver, essa foi a única que superou minhas expectativas! Quando Jacob encontrou com as crianças ele rapidamente os reconheceu das fotografias e ficou encantado com elas (mas encantado do jeito do Asa, não do meu). Aos poucos ele foi conhecendo cada criança, cada peculiaridade e cada personalidade incrível de cada uma delas! <3

  • A incrível Fenda

    No livro, Riggs descreve a fenda como um lugar complicado de se atravessar, onde nas primeiras vezes ele precisou de ajuda para ir e vir. Já no filme Burton criou e destruiu fendas tão facilmente como virar a página de um livro! Quando o filme acabou, ao voltar para casa, fiquei tentando contabilizar e entender a bagunça que ele fez com essa história de fendas.

peregrins-gallery6Mas, como eu havia pedido no post das Cenas, Tim atendeu ao meu pedido e fez a cena em que a Srta. Peregrine reinicia a fenda exatamente da forma como eu imaginava ao ler! Ficou incrivelmente fantástica <3 Pena eu não ter encontrado uma imagem desta cena, mas é magnífica!

 

opiniao

Eu fui para o cinema animadíssima com o fato de estar indo assistir à uma adaptação de um do livros que entrou para a minha lista de favoritos, mas me decepcionei com o que assisti. Fiquei muito triste ao perceber o quão pouco explorada foi a relação dos personagens nesse filme; as crianças possuem histórias tão incríveis que acabaram por serem deixadas de lado para chegar rapidamente na parte considerada o “clímax” do filme, tirando todo o encanto do livro, para um final que foi totalmente diferente do livro e extremamente confuso! Como eu disse antes, tenho problemas com adaptações, mas as vezes eu gosto do resultado no cinema, mesmo que com algumas mudanças. Mas em O Lar das Crianças Peculiares não foi bem assim. A história foi contada às pressas, deixando coisas importantes passarem tão rápido que no final não fizeram sentido algum; assim como a troca das personagens (não vou superar isso) que não acrescentou em nada na história para que essa mudança tivesse que ter sido feita. O livro é recheado de emoções e descobertas que não vimos no filme. Para mim, a magnífica história escrita por Riggs vai continuar a encantar e conquistar novos fãs, mas somente nas páginas do livro.

Você assistiu ao filme? Leu o livro? O que achou? Me conta!

rodapé_um beijo

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *